Arquivos do Blog

Previsão ao Profecia?


Previsão no Tarô está mais para Previsão do Tempo que para Profecia. A Previsão do Tempo nem sempre é exata, mas serve para nos programarmos, para saber se devemos ou não levar uma blusa ou guarda-chuva, se vale a pena viajar para a praia. Já a Profecia só serve para assustar, iludir e imobilizar. Se for boa, ficamos preguiçosos. Se for negativa, perdemos a paz de espírito.

Tarô, para ser usado, deve ser útil. Assim, o que lemos na consulta precisa nos ajudar a melhorar e não nos aprisionar num destino fixo e inevitável. Portanto, antes de exigir resultados infalíveis das cartas, fique feliz com a oportunidade de ser alertado e poder mudar desfechos desagradáveis.

http://vanessamazza.com.br

Dilema da má previsão


8 de Espadas - Shadowscapes Tarot

8 de Espadas – Shadowscapes Tarot

Nem todos tem maturidade ou equilíbrio psicológico para lidar com más previsões.

Saber, por exemplo, que você não tende a ficar com quem ama, que poderá ter anos solitários pela frente ou ainda não ser bem-sucedido no trabalho pode ser desalentador, principalmente se você usar isso como uma desculpa para ficar mal ao invés de tentar entender o que está acontecendo e mudar sua realidade.

Afinal, quem não tem estrutura para ouvir a verdade, mesmo que o Tarô ofereça conselhos, irá desconsiderá-los e esquecê-los, muitas vezes reagindo mal e descontando em quem leu as cartas a responsabilidade pelos rumos dos acontecimentos de sua vida.

Porém, do mesmo modo que um médico não tem culpa por termos colesterol alto, o tarólogo, que não nos conhece, apenas diz o que vê no jogo, de forma imparcial.

Portanto, se você não se sente preparado, não faça uma consulta, respeite seus limites. Pois, saber a verdade é ter que lidar com ela e mudar, saindo da zona de conforto e, nem sempre estamos prontos ou dispostos a isso.

Tarô dá previsões exatas?


Roda da Fortuna - Tarot of the Spirit World

Roda da Fortuna – Tarot of the Spirit World

Seria ótimo se, ao perguntarmos algo ao Tarô, ele nos desse o dia, a hora e o local onde tal evento se materializaria. Porém, não é assim que acontece. Primeiro porque os símbolos não dão conta de fazê-lo. Segundo porque os métodos de tempo que vejo por aí, nunca funcionaram comigo.

Assim, o que sempre me pareceu mais efetivo é simplesmente determinar a realização dentro de períodos de tempo mais abertos, como um mês, um trimestre, um ano, etc, fazendo perguntas objetivas: tal coisa acontecerá em até X tempo?

A questão é que, antes disso, temos que entender se a realização é de fato possível. Pois, se tivermos cartas ambíguas ou de fraca realização, mesmo vendo um prazo, tal poderá ser anulado se os conselhos da consulta não forem seguidos.

Vamos pensar no 7 de Espadas, por exemplo, que fala de possibilidade de realização desde que haja astúcia e cautela. Ou seja, se o consulente não for esperto, colocará tudo a perder. Então, mesmo que eu veja que as coisas podem acontecer em até 3 meses, isso de nada valerá se ele se esquecer que o 7 de Espadas não é um Sol ou Rei de Paus. Ou seja, que a realização prevista não tem tanta força assim, embora sua possibilidade não esteja de todo descartada, como seria o caso de um Pendurado ou Torre.

Por que o tempo da previsão nem sempre é certeiro?


Tarô-17

Para perguntas objetivas, tais como: “irei conseguir uma promoção até o final do ano?”, podemos ter uma reposta mais ou menos assim: “sim, provavelmente no segundo semestre”.

Eis então que o tempo passa e um consulente dá um feedback dizendo que a promoção veio, de fato, mas no primeiro semestre. Outro pode afirmar que veio no começo do ano seguinte.

Por que a promoção não aconteceu exatamente no segundo semestre como previsto?

A resposta está no comportamento do consulente.

Se ele continua dentro de sua tendência anterior à consulta, o resultado será o que foi previsto. Se, no entanto, ele seguir o conselho proposto na leitura, que era o que estava atrapalhando a promoção, ele conseguirá que tal seja adiantado. Mas, se além de não seguir o conselho, ele piorar suas atitudes, o desfecho poderá ser atrasado e, algumas vezes, até eliminado. Este último caso acontece quando a pessoa é reativa e não aceita certas verdades sobre si mesma.

Para explicar isso, vamos supor que o que impedia a promoção era uma atitude muito servilista do consulente. Ele ajudava demais, nunca mostrava o que pensava e, na empresa onde trabalhava, o que a chefia desejava era justamente uma pessoa mais direta, que soubesse enfrentar a autoridade, quando necessário. Então, com o conselho para ser mais assertivo, o consulente, que tinha dificuldade em sê-lo, poderia ficar com raiva, achando um absurdo ter que ficar dizendo aos patrões o que era certo ou errado, se tornando ainda mais introspectivo. Isso poderia tanto atrasar a promoção, quanto fazê-lo se tornar obsoleto, sendo mandado embora.

Veja aqui outras dúvidas respondidas

Perguntas & Respostas: A previsão pode mudar em pouco tempo?


Tarô dos Anjos-15

Podemos fazer a consulta num mês, obter uma resposta e, no mês seguinte ela se alterar. Isso geralmente causa confusão ou incerteza no consulente. Se o profissional consultado for de confiança e, portanto, a probabilidade de erro for pequena, há que se considerar normal e esperado que haja mudanças na previsão de tempos em tempos.

Isso acontece porque, em primeiro lugar, o Tarô não mostra uma destino fixo e sim um futuro provável que vai se transformando de acordo com o presente. Por isso, os conselhos que saem na consulta são importantes (eu diria essenciais). É como se, enquanto a leitura é um mapa, as orientações são bússolas.

Afinal, mesmo com as direções corretas nas mãos, muitas vezes não temos dúvidas se a direção tomada é a mais adequada?

Então, são os conselhos (bússola) que nos darão segurança no caminhar, pois irão nos orientar no sentido de obtermos melhores resultados, seja evitando (ou atenuando) o desfecho ruim previsto, seja antecipando (ou maximizando) a conclusão, quando positiva.

Em suma, quando acontecem mudanças assim na previsão é porque provavelmente o consulente não seguiu os conselhos. Assim, aquilo que estava indicado como promissor, se desintegrou e, aquilo que estava previsto como ruim, se maximizou.

%d blogueiros gostam disto: