Arquivos do Blog

Consulta de Tarô como Exame de Sangue


divine-5

Quando fazemos uma consulta de Tarô temos a impressão de que o tarólogo está vendo tudo o que tem para saber a nosso respeito, inclusive detalhes que nem foram perguntados ou imaginados. A questão é que, tal como um exame de sangue que fazemos no laboratório, se não soubermos exatamente o que estamos procurando, muitas coisas importantes poderão passar despercebidas.

Para que esta comparação fique mais clara, imagine que você tenha alergias. Quando isso acontece, há uma alteração significativa no sangue. Porém, na hora de realizar o exame, se você pedir apenas os níveis de açúcar e colesterol, não é magicamente que virá no resultado seus índices alérgicos.

O mesmo se verifica na consulta de Tarô. Se existe alguma situação importante para explodir no seu trabalho, mas, durante a consulta você foca somente em seu lado amoroso, o tarólogo não irá investigar este lado e assim, não poderá lhe fazer este alerta. (Não é culpa do tarólogo que você não tenha querido ver este setor ou sua vida de forma geral).

Ele poderia fazer este desvio do assunto principal e ver todas as suas outras áreas? Poderia. O problema é que isso envolve tempo e custo, tal como no exame de sangue. Afinal, o laboratório é incapaz de ver tudo o que se possa ver com apenas aquelas amostras que você deu. Ou seja, você teria que encher muitos outros tubinhos. Depois, teria que pagar por cada um dos testes extras realizados, pois são processos diferentes, em máquinas diferentes. E se você tem plano médico, não se engane, este exame de alergia que citei é super caro e, antes de fazê-lo o laboratório confirma se você realmente tem direito a ele.

Isso posto, a vida de cada pessoa é tão ampla, que se um tarólogo for querer ver ponto a ponto sobre cada situação, ele ficará dias focado exclusivamente em uma pessoa, sendo que a mesma nunca pagaria por todo este empenho e tem vezes que nem se sentiria confortável ao sabê-lo, já que o tarólogo estaria invadindo sua privacidade.

Por isso, é esta falta de compreensão sobre como a consulta funciona que leva muitos consulentes (sem noção) a ficarem cobrando o complemento do complemento do complemento de uma consulta que já foi realizada*.

Pense bem, se você não retorna ao laboratório exigindo que eles peguem o mesmo sangue coletado para ver mais uma dezena de coisas, não é correto retornar ao tarólogo para que ele veja outros tantos aspectos que não foram perguntados, se esquecendo que o profissional terá que realizar outras consultas só para respondê-las.

*Isso é diferente de tirar dúvidas, o que é justo e faz parte.

Anúncios

Previsões negativas podem ser modificadas?


O Tarô sempre mostra o presente estendido, tanto no sentido de alguns meses para trás quanto para frente.

Assim, quando vemos uma previsão boa ou má ela está de acordo com o movimento que o consulente já vem traçando, seja com emoções, pensamentos e mesmo ações.

Por isso, durante a consulta temos uma parte de orientação, conselhos, para ver o que o consulente pode mudar no hoje, para que os efeitos vistos seja modificados.

Entretanto, tem algumas coisas difíceis de alterar, pois não dependem apenas de nós.

Mago - Oswald Wirth Tarot

Mago – Oswald Wirth Tarot

Por exemplo, podemos estar num relacionamento em vias de acabar. O Tarô pode indicar caminhos para resolvermos nosso lado, mas, se o outro não resolver o dele, o máximo que conseguiremos será sair melhor da relação, mais calmos e centrados, menos abalados.

Então eu diria que o que é previsto sempre pode ser alterado, principalmente se houver livre-arbítrio na situação.

E como podemos saber disso? Quem estuda o Tarô sabe que algumas cartas indicam liberdade de escolha (Mago, Ás de Copas), outras erros do próprio consulente (4 de Espadas, 7 de Copas) e, por fim, imposições do destino (Temperança, 9 de Paus)

7 de Copas - Harmonious Tarot

7 de Copas – Harmonious Tarot

Para dúvidas como esta, acesse esta página – http://vanessamazza.com.br/category/consultas/duvidas-frequentes/

Qual é o melhor Tarô para brasileiros?


Penso que o melhor Tarô seja o mais tradicional, aquele no qual os conteúdos simbólicos sofreram menos alteração, até porque o significado de cada carta vem de seus símbolos universais, o que pode ser perdido ou mal-interpretado, quando se modifica demais as imagens, justamente para que fiquem mais parecidas com determinada cultura.

Neste sentido, o melhor Tarô para os brasileiros, é o melhor para qualquer povo, a saber o Marselha e, depois, o Rider-Waite.

Agora, para que fique mais claro, segue um exemplo:

O Eremita traz em si o arquétipo da sabedoria, autoconhecimento e solidão, pois todas as culturas possuem esta imagem internalizada do “velho da montanha”, do “asceta da floresta”, do “peregrino”.

Rider-Waite Tarot

Rider-Waite Tarot

Porém, se, apenas por uma questão artística, começamos a inventar muito, usando símbolos que não se associam a estes significados, passamos apenas a reconhecer uma carta como a do Ermitão apenas porque seu nome está escrito nela.

Nesta versão abaixo, temos um homem tocando um instrumento, o que dá a impressão de alegria e movimento. Poderíamos associá-lo ao Louco.

Etruscan Tarot

Etruscan Tarot

Já nesta, um elfo alcança uma moeda no topo de uma montanha, o que pode passar a impressão de coragem, empenho, determinação, dignas de um Carro.

Tarot of the Elves

Tarot of the Elves

Por fim, temos uma moça jovem e bonita segurando uma lâmpada. Teríamos a tendência a associá-la mais a uma Rainha ou à Sacerdotisa, do que ao Eremita.

China Tarot

China Tarot

Erros comuns na hora de ler o Tarô


Encontrado em etsy.com

Encontrado em etsy.com

Ler cartas não é algo tão complexo que não possa ser feito por qualquer pessoa, porém, não é tão óbvio a ponto de não ter algumas diretrizes e orientações. Assim, não basta apenas saber os significados e as tiragens, é preciso ter em mente os parâmetros corretos. Desse modo, as respostas serão mais claras e o resultado mais efetivo.

Vejas exemplos de erros comuns na hora de ler o Tarô:

Sacerdotisa - Katalin Szegedi Tarot

Sacerdotisa – Katalin Szegedi Tarot

1. Não elaborar a pergunta corretamente – Isso costuma acontecer com frequência. Você pergunta: este novo emprego será melhor ou pior que o meu atual? O Tarô não vai conseguir responder. Seria melhor dizer: Meu novo emprego será melhor que o meu atual? Afinal, se for pior, a resposta irá indicar. Outro erro é querer saber muitas coisas diferentes na mesma questão: Ele me ama, me trai ou quer casar comigo?

5 de Espadas - Golden Tarot

5 de Espadas – Golden Tarot

2. Ler com pressa ou ansiedade – A interpretação costuma ser construída a medida que você se permite ficar analisando e refletindo sobre o que saiu. Isso significa que, se você ler em alguns minutos, terá a essência da leitura, mas, se deixar aquele jogo aberto para futuras análises, mais coisas serão apreendidas dele. Portanto, ler correndo é perder muito do sentido e quase nada entender do que saiu.

2 de Espadas - Anna K

2 de Espadas – Anna K

3. Não definir o jogo antes de perguntar – A tiragem certa ajuda muito na precisão da resposta. Se você quer entender algo mais geral, não pode usar jogos que falam de detalhe e vice-versa. O mesmo se aplica com a falta de experiência. Se você não tem domínio, prefira outro jogo, mesmo que mais simples, mas que você conheça bem.

Lua - Rohrig Tarot

Lua – Rohrig Tarot

4. Misturar linhas interpretativas diferentes na mesma tiragem – Se você gosta de usar o método do Veet Pramad, não deve usá-lo em algumas cartas e nas outras, o do Nei Naiff. Muito menos começar lendo segundo o estilo do Tarô Mitológico e terminar como no Marselha. Apesar das cartas serem essencialmente as mesmas, optar por uma linha só lhe dará mais segurança e clareza.

Imperatriz - Shadowscapes Tarot

Imperatriz – Shadowscapes Tarot

5. Usar um baralho com o qual não tem afinidade – Mesmo sabendo o significado de todas as cartas, às vezes usar um Tarô que você considera feio ou desajeitado de usar, prejudica a leitura, pois torna o momento artificial. Use, sempre que puder, baralhos que você gosta e com os quais se sente à vontade.

Rainha de Espadas - Art Nouveau Tarot

Rainha de Espadas – Art Nouveau Tarot

6. Tentar ajustar demais o que o consulente disse com aquilo que saiu – Na tentativa de agradar, podemos correr o risco de ler aquilo que combina mais com nosso consulente e não o que de fato saiu. Tome cuidado, pois muitas vezes o consulente mente para você e também para si mesmo.

Perguntas que clientes fazem


Marilyn Monroe fotografada por Milton Greene, em 1956.

Marilyn Monroe fotografada por Milton Greene, em 1956.

Theresa Reed é um taróloga estrangeira que mantém o blog The Tarot Lady (clique aqui) que, de vez em quando, traz algumas considerações sobre nossa profissão. Recentemente, ela colocou uma lista de perguntas que alguns clientes fazem com frequência. Eu transcrevi algumas abaixo e inclui minhas respostas, de acordo com minha experiência pessoal. Se você também tiver alguma experiência a acrescentar, pode colocar nos comentários.

PERGUNTAS:

Você é uma hippie? Eu acredito que nos Estados Unidos esta referência seja mais comum. Aqui, os tarólogos são associados à macumba, à umbanda, aos videntes. Sem desrespeito nenhum a eles, ser tarólogo é algo que pode acontecer independentemente de qualquer atividade, profissão, religião e ideologia.

Você pode ler minha mente? Neste caso, sempre é aquela associação de que quem lê tarô precisa obrigatoriamente possuir algum super poder, como ler mentes, levitar, enxergar vidas passadas, entrar em transes, etc. Infelizmente para quem busca só o espetáculo, nós tarólogos podemos ser pessoas muito normais.

Você pode me dizer o meu nome do meio? Tarólogo não é adivinho, é um intérprete dos simbolismos das cartas de Tarô. Desse modo, ler o nome próprio de alguém não é algo realizável com a ferramenta que possuímos nas mãos. Porém, a pergunta principal a meu ver é, qual é a relevância disso afinal?

Você me busca no google antes de nosso encontro? Não duvido que certos indivíduos façam isso, porém, fica claro que não são tarólogos já que, no fim, não lerão as cartas de verdade. Apenas usarão informações públicas para traçar um perfil plausível, dando conselhos pessoais em cima disso.

Você se lembra daquela última leitura em que você me disse …… ? Eu mantenho um arquivo das consultas, pois é impossível lembrar de todas, muito menos de detalhes. Assim, quando o cliente precisa rever um atendimento, as informações podem ser acessadas. Isso também serve para minha segurança, pois muitas vezes é previsto que algo vai acontecer de determinada forma, acontece e o cliente vem dizer que foi tudo ao contrário, por causa do fator emocional.

Eu gostaria de testar a sua precisão. Você pode responder a uma pergunta sobre o meu passado? Para mim, fazer isso é o mesmo que dar uma consulta de graça. Além disso, algumas pessoas usam este artifício justamente para não pagar pela consulta. Diz que é um teste, que será algo simples, etc. Porém, nunca é. Uma pergunta simples emenda na outra e quando você vir, já fez uma consulta de uma hora que não será paga. Por isso, cuidado!

Você vai me seguir no Twitter? Cliente deve ser bem tratado, mas não é adequado que os papéis se confundam. O tarólogo não tem obrigação de se tornar amigo confidente do consulente, por mais que uma consulta possa ser muito íntima. Afinal, você não espera que alguma mulher namore seu ginecologista. Manter distância profissional é necessário para que a leitura seja desprovida de julgamentos, opiniões ou emoções que atrapalhariam a objetividade. Assim, mesmo que se torne amigo no Facebook ou no Twitter, a relação ainda será de cliente-profissional.

Meu ex está em um novo relacionamento. Eles estão tendo relações sexuais? Esta é uma daquelas perguntas muito inapropriadas, pois ferem a intimidade do outro e são apenas uma forma de controle. Que de serve ao consulente ter esta informação? É melhor que saiba como superar o ex, como ser feliz no amor ou mesmo se ainda há chance de retorno, ao invés de ficar especulando por curiosidade.

Posso esperar 100% de precisão? Nenhuma consulta é 100% precisa. Tarólogos não são relógios atômicos. Eu acredito que uma boa consulta consiga uns 80, 90% de acerto e isso nem é culpa total do tarólogo. Muita coisa que é lida faz o consulente mudar de ideia, alterando parte da previsão, o que nem sempre é ruim. Afinal, tem vezes que vejo um desemprego acontecendo. O cliente fica esperto, muda de atitude e preserva o cargo. Por isso que, mais interessante que a precisão é o aproveitamento do que foi dito.

Esta leitura é confidencial, certo? Com certeza. Nada pior que um tarólogo fofoqueiro. Isso seria o mesmo que um padre que sai por aí contando os pecados de seus fiéis. Uma das coisas que se deve esperar de um bom tarólogo é sigilo. Ele não vai contar sua consulta para ninguém, nem contará a de outras pessoas para você.

%d blogueiros gostam disto: