Arquivos do Blog

Arcanos que superam problemas


Se você tiver problemas, tirar uma das cartas abaixo é solução na certa, seja pela própria capacidade, seja pelas circunstâncias:

db_GRI-_III_-_L__Imperatrice1 o imperador

Maiores

Imperatriz, Imperador, Morte, Estrela, Julgamento e Mundo

Pictorial_Key_-_Stabe_11_-_Bube

Menores

4, 5, 10 e Pajem de Paus

Ás e 9 de Copas

db_RW-_Schwerter_12_-_Ritter1

3, 9 e 10 de Ouros

Ás e Cavaleiro de Espadas

Anúncios

Tarô & Citações: 10 de Ouros


“A prosperidade é apenas um instrumento para ser usado, não uma divindade para ser adorada.” Calvin Coolidge

Lo Scarabeo Tarot

Lo Scarabeo Tarot

Gosta deste arcano? Veja mais sobre ele

Diferenças entre cartas semelhantes #2


Outras cartas que parecem muito semelhantes são o Rei de Ouros e o 10 de Ouros.

DellaRocca_1835_-_Scheiben_14_-_Re

Ambas falam de riqueza e realização, da resolução de problemas, de felicidade e bem-estar, de estabilidade. A diferença é que o Rei de Ouros tem autoridade e domínio social, enquanto o 10 de Ouros reconhece seus limites e prefere o equilíbrio à liderança.

Neste sentido, o Rei continua avançando, enquanto que o 10 de Ouros sossega. Isso acontece porque o Rei tem ideias pelas quais lutar e o 10 de Ouros quer apenas gozar do que foi conquistado.

db_RW-_Scheiben_101

Portanto, existe um clima de paz no 10 de Ouros e um de perseverança no Rei. Por isso, as caminhos se abrem com naturalidade no último e com força no primeiro. Isso explica porque o Rei de Ouros investe e o 10 de Ouros recebe e administra.

Conselhos do Tarô: Mundo com 10 de Ouros


(Medieval) Scapini Tarot

(Medieval) Scapini Tarot

Quando sai esta combinação, uma das propostas que o Tarô nos traz é para investirmos em nossa independência, valorizando desejos que só serão possíveis se tivermos mais ambição. Porém, não devemos nos esquecer dos momentos lúdicos. Para isso, basta crermos mais em nós e na vida, continuando em frente, não importam os obstáculos.

Boas maneiras com o Tarô: 10 de Ouros


Acúmulo. Esta imagem nos passa bem a mensagem de quando passamos a juntar coisas mais pelo prazer do acúmulo, do que pela necessidade. E não precisa ser apenas dinheiro, podem ser objetos com “apelo emocional”, pessoas, amigos, gorduras localizadas…toda vez que o suficiente não é suficiente e precisamos sempre de mais para nos sentirmos confiantes, seguros, felizes, é chegado o momento de refletir se não estamos nos colocando numa (abastada) prisão. Será que vale a pena fazer coleções? será que é tão terrível jogar o que não serve fora? reciclando, doando, vendendo? é realmente necessário conservar tantos apegos, manter brinquedos no plástico, sem que ninguém possa brincar com eles ou juntar moedas sem nunca compartilhá-las? Pare com isso antes que fique sufocado!

%d blogueiros gostam disto: