Arquivo da categoria: Boas Maneiras

Boas Maneiras: Índice


Tarôs91

Quer ver qual é um dos lados negativos de cada arcano para aprender a ter melhores maneiras com o Tarô? Consulte a lista a seguir:

  1. 10 de Paus: Sobrecarregamento
  2. 9 de Paus: Autodefesa
  3. 8 de Paus: Ansiedade
  4. 7 de Paus: Concorrência Desleal
  5. 6 de Paus: Desejo de Sucesso
  6. 5 de Paus: Briga
  7. 4 de Paus: Falta de Discernimento
  8. 3 de Paus: Expectativa
  9. 2 de Paus: Antagonismo
  10. Ás de Paus: Fogo de Palha
  11. Rei de Paus: Exibicionismo
  12. Rainha de Paus: Vaidade Pessoal
  13. Cavaleiro de Paus: Inquietude
  14. Pajem de Paus: Imaturidade
  15. 10 de Copas: Fantasia
  16. 9 de Copas: Gula
  17. 8 de Copas: Desistência
  18. 7 de Copas: Autoindulgência
  19. 6 de Copas: Idealização do amor
  20. 5 de Copas: Lamentação
  21. 4 de Copas: Depressão
  22. 3 de Copas: Futilidade
  23. 2 de Copas: Complexo de Alma Gêmea
  24. Ás de Copas: Carência
  25. Rei de Copas: Manipulação Emocional
  26. Rainha de Copas: Dramatização
  27. Cavaleiro de Copas: Ciúmes Emocional
  28. Pajem de Copas: Ressentimento
  29. 10 de Ouros: Acúmulo
  30. 9 de Ouros: Falta de Tato
  31. 8 de Ouros: Excesso de Zelo
  32. 7 de Ouros: Impaciência
  33. 6 de Ouros: Sem Generosidade
  34. 5 de Ouros: Pobreza
  35. 4 de Ouros: Posse
  36. 3 de Ouros: Falta de Cooperação
  37. 2 de Ouros: Falta de Leveza
  38. Ás de Ouros: Ambição Desmedida
  39. Rei de Ouros: Ganância
  40. Rainha de Ouros: Interesse Egoísta
  41. Cavaleiro de Ouros: Teimosia
  42. Pajem de Ouros: Manipulação Corporal
  43. 10 de Espadas: Derrotismo
  44. 9 de Espadas: Histerismo
  45. 8 de Espadas: Excesso de Conciliação
  46. 7 de Espadas: Falsidade
  47. 6 de Espadas: Letargia
  48. 5 de Espadas: Imposição
  49. 4 de Espadas: Preguiça
  50. 3 de Espadas: Excesso de Sofrimento
  51. 2 de Espadas: Falta de Paz de Espírito
  52. Ás de Espadas: Manipulação Mental
  53. Rei de Espadas: Crítica
  54. Rainha de Espadas: Deboche
  55. Cavaleiro de Espadas: Intolerância
  56. Pajem de Espadas: Fofoca
  57. Mundo: Comodismo
  58. Julgamento: Alienação
  59. Sol: Narcisismo
  60. Lua: Ilusão
  61. Estrela: Falta de Visão
  62. Torre: Negligência
  63. Diabo: Ciumes Físico
  64. Temperança: Falta de Elegância
  65. Morte: Medo do Desconhecido
  66. Pendurado: Martírio
  67. Força: Covardia
  68. Roda da Fortuna: Rigidez
  69. Eremita: Isolamento
  70. Justiça: Hipocrisia
  71. Carro: Descontrole
  72. Enamorados: Indecisão
  73. Sacerdote: Fanatismo
  74. Imperador: Orgulho
  75. Imperatriz: Vaidade Física
  76. Sacerdotisa: Timidez
  77. Mago: Fingimento
  78. Louco: Irresponsabilidade
Anúncios

Boas maneiras com o Tarô: Rei de Paus


Exibicionista. Tem gente que, por causa de uma ou outra habilidade, adora se exibir. Seja porque tem um corpo bonito, saiba consertar as coisas rapidamente, tenha dinheiro de sobra ou ainda algum conhecimento muito específico, como falar javanês. É muito fácil nos deixarmos seduzir por estas pessoas, pois elas realmente sabem fazer aquilo que exibem, porém, isso nem sempre indica que elas sejam boas em outras coisas, incluindo aí a personalidade, a moral, a ética.  Por isso que, muitas vezes, o exibicionismo pode ser apenas uma máscara para seus reais defeitos, que são muitos. A gente fica fascinado com o jogo de mágica, com a ilusão e não vemos a falha daquele que se exibe.

Boas maneiras com o Tarô: Rei de Copas


Estes dias fiquei pensando sobre o lado ruim do Rei de Copas, ele que, geralmente representa a pessoa nobre, de bom coração, compassiva, altruísta. Então me lembrei daqueles que usam as emoções das pessoas para influenciá-las e manipulá-las. Pode ser um marketeiro, um religioso, um vendedor, um político e até mesmo qualquer outro profissional que lide diretamente com pessoas. Afinal, com sua habilidade em ouvi-las, fazendo com elas se sintam importantes, aliando a isso o jogo certo de palavras e muita observação, essas pessoas podem induzir você a fazer coisas que não quer e não acredita, mas que, na hora, você se convence que foi você mesmo quem decidiu. Só depois, longe da influência é que sua mente racional retorna e você percebe o erro cometido. O que é interessante é que acabamos criando por causa desses enganadores um padrão de raciocínio que diz o seguinte: quando a pessoa é muito cordata e diz as coisas certas, a gente desconfia e quando a pessoa é reclamona e comete erros, é alguém normal e confiável.

Boas maneiras com o Tarô: Cavaleiro de Ouros


Teimosia. Quer pessoa mais obstinada, séria, constante e teimosa do que o Cavaleiro de Ouros? Ele não quer saber de preguiça, nem de queixume, muito menos de diversão! Ao mesmo tempo em que não cede, nem quer ouvir opiniões diferentes da dele, ele vai até o fim naquilo que se propôs, mesmo que quebre a cara. Mas não espere que ele vá pedir desculpas ou falar sobre seu erro. Provavelmente vai tomar novas decisões, como se tivesse escolhido sozinho.

Boas maneiras com o Tarô: Cavaleiro de Espadas


Intolerância. Você sabe aquela pessoa que não suporta o erro? Ou que não aceita ninguém que seja diferente dela por perto? Seja por causa de raça, religião, estilo ou classe social? Ela se sente tão superior e fica tão envolvida nesta ilusão de grandeza, que sente que pode criticar, analisar, julgar e mesmo excluir aqueles que não se enquadram em seus moldes de perfeição. Porém, se esquece que ela mesma tem um monte de problemas e defeitos a serem corrigidos. Por isso, geralmente é alguém que exige toda tolerância do mundo em relação aos próprios deslizes. Assim, se chega atrasada, a justificativa deve ser aceita. Se comete um erro é porque foi induzida a tal por outrem. Se quebra algo, é porque o objeto tinha sido colocado no lugar errado por outra pessoa. Se não paga a conta em dia, é porque o sistema tem falhas e por assim vai. Mas ai de você se chegar atrasado, quebrar algo ou deixar de pagar um empréstimo para esta pessoa!

Boas maneiras com o Tarô: Pajem de Espadas


Fofoqueiro. Nós conhecemos o Valete de Espadas como aquele que vive falando mais que a boca, que propaga fofocas, boatos, mesmo sem ter certeza de nada e que gosta de ver o “circo pegando fogo”, quando as informações saem do controle. Eu geralmente associo este personagem ao jornalista sem ética que não se preocupa com o bem-estar ou a privacidade alheia. Afinal, o que ele quer mesmo é conseguir sua manchete, mesmo que tenha que incomodar as pessoas no meio da noite ou causar danos morais a elas, com a desculpa da “busca pela verdade dos fatos”. Aliás, isso costuma ser muito relativo, pois mesmo sendo testemunhas oculares de um crime ou acontecimento, ainda corremos o risco de não termos visto a verdade, por causa de uma interpretação errado, por exemplo. Assim, evite contar sua vida para este Valete!

Boas maneiras com o Tarô: Rainha de Paus


Aquela que vive sob os holofotes. Nem todos têm o talento de brilharem sozinhos. Porém, não é porque alguém tem carisma que isso significa que seja naturalmente iluminado.  Muita gente gosta mesmo apenas de “aparecer”, de ser notado, mesmo que não seja num sentido positivo. É aquela pessoa que sempre atravessa as conversas, que faz inúmeras referências pessoais e que tenta sempre se mostrar alegre, divertido, despojado, otimista e às vezes até sábio, mesmo que no fundo seja mesmo superficial ou não tenha muito conhecimento. Se você prestar bastante atenção no discurso dessas pessoas, verá o quão incongruentes e até absurdos podem ser, porém, como falam tudo com muito convicção, você até chega a duvidar dos seus próprios sentidos. Por isso, não se deixe seduzir. não se abale. Se não há plateia, de fato, não há espetáculo.

Boas maneiras com o Tarô: Pajem de Ouros


O Valete de Ouros ou a Princesa de Ouros, pode ser aquela pessoa que usa o próprio corpo para conseguir o que deseja. É o caso daqueles que investem mais tempo em tratamentos estéticos, em academias e em eventos sociais, do que nos estudos ou na busca de desenvolver uma espiritualidade ampliada. Eles não querem realizar muita coisa, muito menos mudar o status quo, posto que são muito práticos e querem conforto e também enriquecer. Serão aquelas pessoas que irão seduzir outras mais ricas com seu charme, que tentarão uma vaga de apresentador ou dançarino num programa de TV, que serão figurantes em novelas ou modelos de catálogos. Num nível mais cotidiano, podem se tornar pessoas que adoram exibir seus corpos em praias, que conseguem descontos em bares por causa da beleza ou que “descolam” caronas, brindes, convites, apenas porque deram um sorriso ou pediram “com jeitinho”. Afinal, como resistir a sua beleza? Ela de fato nos fascina. O encanto só acaba quando após um tempo de convivência, que costuma ser pequeno, e o que antes era encantador, pode muito bem se tornar maçante.

Boas maneiras com o Tarô: Pajem de Copas


Ressentimento. Este costuma ser uma emoção bastante infantil, pois não passa de uma expectativa frustrada que alimentamos à toa. Mesmo que alguém tenha nos feito mal, é de se estranhar que tenhamos acreditado que poderíamos controlar o comportamento de outra pessoa ao ponto de ela não ter direito de se manifestar a sua maneira. Afinal, uma coisa é alguém lhe prejudicar direta ou indiretamente, por escolha própria ou engano e você aceitar isso com maturidade, tomar decisões coerentes, seja mudando o seu comportamento, seja se afastando da pessoa, outra coisa é ficar magoado, ressentido, se sentindo ferido e vítima de um opressor. Claro que é muito natural querermos mais das pessoas, mas é preciso desenvolver sabedoria, nos desapegando e compreendendo que cada um tem seu tempo e ninguém está aqui na Terra para nos servir ou suprir nossas carências, mesmo que sejam apenas ideais de comportamento.

Boas maneiras com o Tarô: Cavaleiro de Paus


Inquietude. Você sabe aquelas pessoas não param quietas, que são precipitadas, ansiosas, que perdem as estribeiras por pouca coisa, até se arriscando sem necessidade ou colocando outras pessoas em perigo por besteiras? Pois é, estas são as pessoas marcadas pelo fogo inquieto do Cavaleiro de Paus.  Além de não relaxarem nunca, acabam não aproveitando as boas coisas que conquistam, ao mesmo tempo em que correm o risco de se mostrarem ingratas quando passam pela vida das pessoas como um foguete desordenado. Afinal, aonde elas querem chegar com tanta pressa? Por que descansar um pouco é tão fatigante? Conviver com uma pessoa assim é ficar em alerta o tempo todo, é não poder ter uma refeição com tranquilidade, quanto menos um bom banho (com certeza essas pessoas preferem uma boa ducha a uma banheira). Se a vida é agora e a única coisa que existe é o presente, ficar em eterno movimento em direção ao futuro não faz muito sentido. Portanto, se você for assim, é melhor desacelerar, se não irá perder a magia da vida para chegar na reta final e se perguntar: ok, cheguei e agora?

%d blogueiros gostam disto: