Tarô e Cultura: 8 de Ouros – Abóbora do Halloween (Jack O’Lantern)


Seguindo a linha do deck Rider-Waite, o Tarô do Halloween simplesmente transvestiu a famosa cena do artesão das moedas, num espantalho com cabeça de cebola (ou alho) cujo trabalho é esculpir alegremente lanternas com abóboras, acompanhado de seu gato preto.

Essa prática tão famosa durante o Dia das Bruxas, mas que é mais comum nos países do Hemisfério norte, surgiu de uma lenda irlandesa sobre um fantasma, chamado Jack, que carregava uma lanterna durante a noite e que surgia mais fortemente no dia 31 de outubro, o dia do Halloween.

Apelidado de Jack-o’-lantern (Jack da lanterna), este homem teria ludibriado o Diabo em vida, fazendo uma espécie de barganha. Tudo o que ele queria é que, quando morresse, o senhor das trevas não pudesse reclamar sua alma. O problema é que Jack não era lá um bom sujeito e, por isso, não foi aceito no céu. Como o Diabo também não podia levá-lo ao inferno, Jack teve que se contentar em errar pelas trevas carregando sua lanterna.

Para se protegerem desse espírito (e também de outros), irlandeses e escoceses costumavam esculpir rostos assustadores em nabos e batatas, nos quais acendiam velas, colocando-os em janelas e portas. Já os ingleses utilizavam grandes beterrabas.

Por que a abóbora então? devem se perguntar. Quando os primeiros imigrantes chegaram aos Estados Unidos, eles perceberam que as abundantes abóboras davam lanternas maiores e melhores, passando a usá-las mais frequentemente até os dias atuais.

Portanto, que o ofício de fabricação de lanternas de abóboras seja importante e deva ser feito com cuidado e atenção, assim como nos fala o 8 de Ouros tradicional, isso é verdade, principalmente para aqueles que acreditam estarem afastando Jack e outros maus espíritos de perto de suas casas.

Por outro lado, sabemos que hoje a festa é mais recreativa que religiosa, e o esmero na produção de tal enfeite vem mais do detalhismo e de uma vontade de aprimoramento, de tornar as coisas mais belas, do que qualquer outra coisa.

Anúncios

Sobre Vanessa Mazza

Graduada em Comunicação Multimídia pela UMESP, já trabalhei com mídias e publicações (jornais, internet e revistas), mas minha paixão sempre foi o Tarô, com o qual tenho uma vivência de mais de 20 anos. Atualmente resido em Franca, em São Paulo, sendo taróloga profissional – atividade reconhecida pelo ministério do trabalho desde 2002 – e atendo preferencialmente por chat e email.

Publicado em 08/06/2012, em Artigos, Tarô, Tarô e Cultura e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Alguma dúvida? Deixe abaixo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: