Evite doenças com o Tarô: Diabo – Vícios


Quando focamos demais no material e nos esquecemos do espiritual, sendo indulgentes em nossos sentidos, como se eles pudessem preencher o vazio que sentimos ou a falta de significado de nossas vidas, é fácil adquirir algum tipo de vício. Assim, qualquer coisa que escolhamos para ser este substituto, esta muleta, se torna uma espécie de obsessão e você perde totalmente o controle sobre si mesmo. Você sabe que não precisa de mais remédios, drogas, cigarros, bebidas, comida, sexo ou aventura. Mas a sensação que você obtém com cada uma dessas coisas, seja de relaxamento, de satisfação, de poder, lhe fazem não querer abrir mão. Afinal, você não consegue encontrar essas sensações em outros lugares. A questão é que se não cortamos a dependência, é óbvio que nada mais será capaz de substituir estas coisas. Por isso se torna um círculo vicioso.

Osho chegou a responder assim a um homem que queria saber o que fazer para deixar de fumar: “não faça nada”, ele disse, “apenas torne o ato de fumar sagrado”. Parece contraditório, mas os vícios só se perpetuam porque nos levamos por eles sem consciência. Estamos fumando, bebendo, nos jogando de penhascos sem parar para pensar no ato em si. Ou seja, Osho quis dizer que se aquele homem pegasse lentamente seu cigarro, observando cada movimento, sem pensar em nada, o acendesse, tivesse a primeira tragada com muita calma, com certeza acharia tudo aquilo muito tolo e pararia.

Ou seja, não adianta lutar contra vício. Em primeiro lugar é preciso aceitá-lo, tal como a carta do Diabo, que representa nossa sombra. E só a partir dessa aceitação completa de nós mesmos, que a necessidade de mascarar a vida e fingir que nossos problemas não estão lá poderão desaparecer.

Neste sentido, não devemos olhar o cigarro, a bebida, as drogas como o mal em si e sim nossa atitude em não querer enxergar nosso presente, quem somos e os motivos que nos fazem continuar, perpetuamente, nos enganando.

Na verdade é fácil compreender a dificuldade. Largar o vício é admitir que somos infelizes no amor, que não fomos amados por nossos pais, que não conseguimos resolver nossos problemas financeiros, ou que não sabemos como lidar com algum desafio ou mesmo uma traição.

Porém, de que adianta se ferir porque algo não é do jeito como você gostaria? Não é melhor encarar e resolver de uma vez? Tenho certeza que isso será mil vezes menos ruim do que as consequências pela permanência do vício.

Saiba mais sobre esta série aqui

Anúncios

Sobre Vanessa Mazza

Graduada em Comunicação Multimídia pela UMESP, já trabalhei em emissoras de TV, produtoras de vídeo e cinema, além de ter sido assessora de imprensa de um órgão do Governo do Estado de São Paulo. De 2008 a 2011 me envolvi com a área de internet do Grupo Corrêa Neves de Comunicação em Franca, cidade do interior paulista para a qual me mudei para ter mais qualidade de vida e bem-estar. Dessa forma, pude me dedicar mais intensamente ao tarô, com o qual tenho uma vivência de 17 anos e mais de 5 mil atendimentos, e outros assuntos holísticos, escrevendo artigos e realizando consultas. Atualmente resido em Petrópolis, no Rio de Janeiro, tendo assumido completamente minha profissão de taróloga – que passou a ser reconhecida pelo ministério do trabalho desde 2002 – e atendo preferencialmente por chat e email.

Publicado em 05/13/2012, em Artigos, Evite Doenças, Tarô e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

Alguma dúvida? Deixe abaixo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: